Rinofima: causas, tipos e lasers CO2

26 Maio, 2022
Compartir Compartir en facebook Compartir en twitter

Rinofima é uma doença da pele do nariz, com crescimento progressivo e pode alterar profundamente a forma do nariz. A ponto de, se não for tratada, poder afetar psicologicamente o paciente, uma vez que numa fase avançada o nariz pode ficar desfigurado e causar problemas de autoestima.

O primeiro sintoma é uma alteração na pele da zona, que se agrava com o tempo. Primeiro, a pele torna-se rosada ou avermelhada, torna-se espessa e as glândulas sebáceas ficam obstruídas, levando à formação de quistos que gradualmente dão ao nariz uma forma bulbosa. Por este motivo é também vulgarmente referido como o “sinal do nariz de palhaço” como uma manifestação de neoplasia.

Na fase pré-rosácea, os pacientes sentem desconforto e a área é frequentemente infetada. É extremamente importante consultar um dermatologista para descartar outras doenças.

Rinofima e as suas possíveis causas

As causas diretas da sua ocorrência são atualmente desconhecidas. É uma manifestação severa de rosácea pouco frequente. Há mais casos masculinos do que femininos, e é mais comum em caucasianos que em africanos.

Convidamo-lo a ler os nossos artigos “Celebridades com rosácea nas redes sociais” e “Rosácea e couperose“.

Acredita-se que certos hábitos, ou predisposições, podem aumentar ou acentuar a sua presença:

• Consumo de álcool.
• Exposição solar prolongada.
• Tabaco.
• Comidas picantes.
Presença de Helicobacter pylori.
Hipersensibilidade ao ácaro Demodex follculorum.

Os tipos de rinofima podem ser classificados em três graus ou fases:

  • Leve: telangectasias e hiperplasia da derme.
  • Moderado: hipertrofia e pequenos nódulos.
  • Severo: nódulos massivos.

A seguir, veremos os tratamentos contra a rinofima.

Rinofima tratamento cirúrgico

O tratamento consiste em melhorar a aparência do nariz, uma vez que normalmente não causa quaisquer problemas de saúde, salvo em rinofima severa, onde as vias respiratórias nasais podem ficar bloqueadas devido à deformidade; então é de importância vital remover a pele e proceder à cirurgia.

Porém, como mencionámos no início, dada a sua localização no rosto, aqueles que sofrem desta doença, mesmo que apenas ligeira, podem sofrer de: insegurança, stress e depressão uma vez que esta doença altera a imagem das pessoas.

Assim, dependendo da gravidade e do tamanho, será utilizada uma técnica como a dermoabrasão ou o tratamento cirúrgico com laser. Contudo, será o dermatologista a determinar a melhor solução de acordo com as características do paciente.

Rinofima e o laser CO2

A utilização de laser CO2 é recomendada nas primeiras fases ou fases da doença, com ambas as suas duas versões: laser pulsado ou fracionado, para atuar contra a hipertrofia glandular sebácea. O tratamento é feito sob anestesia local, e logo na primeira sessão o paciente já pode notar uma grande melhoria. Num estado grave da doença, será necessária uma intervenção cirúrgica.

Na Alma encontrará Pixel CO2, uma plataforma concebida para oferecer diferentes soluções dermatológicas, médicas e cirúrgicas, sendo assim a ferramenta perfeita contra a rinofima.

Tem alguma pergunta? Preencha o formulário e nós informaremos sem compromisso. Não se esqueça de nos seguir no Instagram  ou Facebook para mais informações!